sexta-feira, 13 de abril de 2012

Plano da Sabesp para tratar esgoto e despoluir a represa recebe críticas



A promessa é tratar todo o esgoto de Ibiúna, Vargem Grande Paulista e Caucaia do Alto até o fim de 2014

 Jornal Cruzeiro do Sul
Giuliano Bonamim
giuliano.bonamim@jcruzeiro.com.br

A Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp) anunciou para o fim de 2014 a conclusão das obras de saneamento em Ibiúna, Vargem Grande Paulista e Caucaia do Alto - distrito de Cotia. A declaração foi feita pela presidente da empresa, Dilma Pena, durante o encontro ocorrido anteontem na sede da Secretaria de Estado de Saneamento e Recursos Hídricos. O objetivo do governo estadual é tratar todo o esgoto dos três municípios no prazo de 32 meses para diminuir pela metade a poluição na represa de Itupararanga, mas os próprios representantes das cidades estão descrentes com o cumprimento da promessa. 

O secretário de Planejamento Urbano e Obras Municipais de Vargem Grande Paulista, Maurício Alberto Cinto, classifica o anúncio como uma "piada". "É a mentira mais absurda que eu já ouvi", diz. Segundo ele, os 44 mil habitantes da cidade não são beneficiados com a coleta e tratamento de esgoto. Os dejetos são jogados in natura em córregos e rios da região. "Mesmo que entre em atividade uma estação até 2014, não há um metro de cano instalado no município para levar os dejetos das residências à estação. Isso nem foi licitado ainda", completa. 

Cinto diz que a Sabesp já foi notificada pelo Ministério Público para construir uma estação de tratamento de esgoto na cidade. "Não é uma vontade, mas sim uma obrigação da Sabesp", relata. De acordo com o secretário, o prazo dado pela Justiça já venceu em 2012 e nada de prático foi feito. "Disseram que houve um problema com a construtora responsável pela obra", comenta. O mesmo discurso é compartilhado por Fernando Rosa, diretor do Meio Ambiente de Ibiúna. O representante do governo municipal disse ontem, por telefone, desconhecer a afirmação da presidente da Sabesp. "O que eu sei é que esses projetos estão em fase de negociação", comenta.

De acordo com Rosa, Ibiúna tem uma estação de tratamento de esgoto em funcionamento e outra em construção, com prazo de entrega para 2013. "Mas essas duas estações terão a capacidade de tratar somente 55% do esgoto produzido na área urbana do município", relata. O professor de Microbiologia Ambiental do câmpus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), André Cordeiro Alves dos Santos, acredita que o desafio mais difícil da Sabesp está em Caucaia do Alto. "É uma região com uma ocupação desordenada e difícil para a passagem de tubulação", diz. 

André Cordeiro esteve na reunião de anteontem em São Paulo e calcula uma melhora na qualidade da água na represa de Itupararanga, caso a promessa da Sabesp seja cumprida em 2014. "Certamente mais da metade da poluição que entra no reservatório será diminuída, mas o reflexo desse tratamento deverá demorar, pois parte desses dejetos estão sedimentados", comenta.

Dilma Pena prometeu o tratamento total do esgoto produzido nos três municípios ao prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi (PSDB), que ocupa o cargo de presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Sorocaba e Médio Tietê (CBH-SMT). O líder do Executivo sorocabano esteve anteontem em São Paulo acompanhado pela secretária do Meio Ambiente de Sorocaba, Jussara de Lima Carvalho, e por integrantes da diretoria do CBH-SMT.

As obras foram orçadas em R$ 50 milhões para ampliar para 100% o tratamento de esgoto desses municípios. "Queríamos mais informações sobre as obras de saneamento dessas cidades da região da represa de Itupararanga, nosso principal manancial de água", explica Lippi.
O CBH-SMT tem feito gestões junto ao Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saneamento e Recursos Hídricos e da Sabesp, para que sejam priorizados a coleta e o tratamento de 100% dos esgotos dessas cidades. "Essa é uma das nossas prioridades. O comitê está trabalhando há seis anos nessas questões e várias ações já estão em andamento. Isso foi muito oportuno para podermos acompanhar o cronogramas das obras e esses elevados investimentos do Estado para a recuperação do nosso manancial", destaca Lippi.

Durante a reunião, Dilma Pena se comprometeu em enviar ao prefeito, em breve, uma planilha detalhada com custos e prazos das obras que estão gerenciadas pela Sabesp na região do Comitê de Bacias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário