sexta-feira, 30 de junho de 2017

BARCAS SA COMANDA AÇÃO ANTIGREVE EM NITERÓI

Jornalistas Livres adicionou 4 novas fotos.
Publicado por Guilherme Imbassahy57 min
BARCAS SA COMANDA AÇÃO ANTIGREVE EM NITERÓI
As Barcas SA, empresa do Grupo CCR, através da Gerente de Operações Carolina Vidal, orientou em pessoa e nos mínimos detalhes a ação da tropa da Polícia Militar em operação para garantia de cumprimento de liminar expedida pelo juiz Álvaro Teixeira de Almeida nesta madrugada.
A presença do comando local da concessionária era marcante. Apesar do discurso de falta de recursos decorrente valor da passagem, as Barcas reforçaram a segurança privada e instalaram um cercado ao redor das bilheterias e de uma das portas. Policiais com escudos, cacetes e armaduras formaram um cordão ao redor do cercado.
O comando da operação, exercido pelo Capitão Mauricio do 12o BPM (Niterói) abordou manifestantes que não eram do comando da manifestação para liberar mais portas. Após negociação, se dirigiu ao comando local da empresa concessionária. Gesticulando e apontando as áreas bloqueadas por manifestantes, o comandante passava o resultado da conversa com manifestantes. Meia hora depois tomavam um descontraído café da manhã no interior da estação.
A integração entre empresas privadas e forças de segurança para repressão dos trabalhadores tem aumentado com a escalada da luta política e econômica desde o golpe. Na ditadura civil militar de 1964, grandes empresas financiaram a polícia militar e até os aparelhos que executavam as prisões e torturas. Os maiores exemplos foram as doações de veículos pela GM do Brasil e de máquinas de escrever pela Folha da Manhã, atual Folha de São Paulo.
A manifestação do Sindicato dos Marítimos, que representa os trabalhadores, conta com o apoio dos sindicatos dos bancários, metalúrgicos e movimentos estudantis e transcorre pacificamente.
Procurada pela reportagem, a Vidal se recusou a se identificar. O assessor de comunicação das Barcas SA, Rodrigo Heiner, também presente na manifestação, se negou a confirmar o nome da Gerente de Operações da concessionária de um serviço público e se orientavam a PM se a liminar emitida na madrugada estava sendo cumprida. O comando da PM no local não se pronunciou. Ambos disseram que aonde pronunciam através de seus veículo oficiais, o e-mail da comunicação e o oficial de comunicação do 12o BPM, respectivamente.
Fotos e reportagem: Vitor Vogel - CUCA da UNE

Nenhum comentário:

Postar um comentário