quarta-feira, 21 de junho de 2017

Bandidagem

carainho
A Folha, em reportagem exclusiva, mostra os registros das diversas ligações de Geddel Vieira Lima, ex-ministro e ainda assecla de Michel Temer, para o telefone da mulher do doleiro Lúcio Funaro,  Raquel, por meio do aplicativo Whatsapp.
O objetivo seria o de “sondar” a possibilidade de ele, Funaro, fechar acordo de delação premiada.
O meigo ” Carainho” – nome dado na agenda do telefone da sra. Funaro ao número telefônico de Geddel –  ligou nada menos de 12 vezes após a delação da JBS, que fornecia uma polpuda  “Bolsa Guenta Aí” para o marido ficar de boca fechada.
Geddel também mandava mensagens para o advogado Francisco de Assis e Silva, da JBS e também delator, perguntando sobre o “passarinho” que estava atrás das grades. Assis e Silva contou que Geddel o informou Temer havia escalado o ministro Eliseu Padilha “para cuidar do processo de Lucio Funaro no Supremo Tribunal Federal”.
O desenho da quadrilha Temer está ficando cada vez  mais completo e asqueroso.
É bandidagem de quinta categoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário