sábado, 28 de março de 2015

Cidades da região sofrem com atrasos nas correspondências

Empresa defende e afirma que as entregas domiciliares estão regularizadas




Esdras Felipe Pereiraesdras.pereira@jcruzeiro.com.br
programa de estágio

O transtorno causado pelo atraso na entrega das correspondências, constantemente noticiado nos últimos meses pelo jornal Cruzeiro do Sul, não é de exclusividade dos sorocabanos. A situação também incomoda a população de Mairinque e São Roque há pelo menos dois meses. De acordo com os munícipes ouvidos pela reportagem, a alternativa tem sido recorrer às segundas vias pela internet, antes que o prazo de pagamento das contas vença. O diretor em Sorocaba do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Gilmar Gomes da Silva, afirma que toda a base da entidade recebe críticas relacionadas ao problema. "As reclamações partem de Itararé até Araçariguama, passando por São Roque, Mairinque, Salto, Itu, Piedade, Pilar do Sul, Tatuí, Capão Bonito, Itapetininga, entre outras cidades", comenta.

A aposentada Josefa Real de Moraes, 71, moradora do Jardim Cruzeiro, em Mairinque, conta que sua filha foi até o centro de distribuição dos Correios na cidade em busca das cartas, mas foi informada por uma funcionária de que não poderia recebê-las. "Ela (a funcionária) falou que não tinha tempo de separar as correspondências para entregar porque não tinham funcionários suficientes", afirma. A idosa acredita que a dificuldade em receber boletos bancários e outras cobranças tem sido enfrentada por grande parte dos habitantes da cidade. "Sorte que aqui em casa a gente conhece as datas das contas, então conseguimos pagá-las sem multa", explica.

Mesmo com a possibilidade de imprimir algumas contas pela internet, a proprietária de uma madeireira localizada na Vila Sorocabana, em Mairinque, reclama que não conseguiu receber a fatura de uma taxa de impostos da Prefeitura antes do limite para vencimento. Depois do prazo expirar, Maria Ivone Damasceno encarou mais de uma hora de fila em uma agência bancária para conseguir quitar sua dívida. "O problema não são os juros, que são baixos, mas sim o tempo que a gente perde no banco por causa do problema", lamenta. Ela, inclusive, teria questionado um carteiro que trabalhava próximo ao seu comércio sobre o atraso nas entregas das correspondências. "Ele foi enfático: disse que eu não conseguiria minhas contas tão cedo, pois faltam funcionários", conta.

Segundo os Correios, Mairinque conta atualmente com 17 empregados, sendo 11 carteiros efetivos (próprios). A empresa alega que os atrasos na cidade são pontuais. "Embora não sejam de forma diária, as entregas de correspondências são feitas regularmente e, independentemente do segmento dos objetos postais, os Correios não deixam de entregá-los", informa em nota.

São Roque

Os aproximadamente 7,2 quilômetros que separam São Roque de Mairinque não fazem com que o transtorno seja menor na cidade. O impasse para ter acesso às cartas é percebido, principalmente, por moradores da região central. O aposentado Laerte Grenga, 73, residente da rua José Alambique, relata ter buscado diversas vezes suas postagens diretamente na unidade dos Correios. Apesar disso, lembra ter deixado de receber a fatura de um cartão de crédito. "E para pagar no caixa é um problema, porque é um monte de números e sempre tenho que pedir ajuda", argumenta.

Já o sócio-proprietário de uma farmácia no Centro, Silvio José Agostinho, 75, precisa da ajuda da filha para retirar os boletos de pagamento pela internet. Ele explica que um funcionário dos Correios teria justificado a demora para a entrega das correspondências com base na greve dos caminhoneiros, que atingiu o País em março deste ano. "Mas não é verdade, porque a paralisação já acabou e o problema continua", disse.

Na cidade, são empregados 37 profissionais, sendo 25 carteiros efetivos (próprios), conforme os Correios. Questionada pelo Cruzeiro do Sul, a empresa afirmou que as entregas domiciliárias na cidade já estão regularizadas.

Para os Correios, tanto em São Roque quanto em Mairinque, os atrasos são provocados por dois fatores: a sobrecarga de correspondências e o encerramento do contrato com a empresa que fornecia trabalhadores - que atuavam na área operacional - temporariamente. "Está em andamento um novo processo de licitação para contratação de nova empresa fornecedora de mão de obra temporária e a previsão é de que as equipes sejam ampliadas ainda neste primeiro semestre", acrescenta a empresa. (Supervisão Marcelo Andrade)


Procon faz reunião com Correios

O problema causado pela entrega atrasada das correspondências motivou uma reunião entre integrantes do Procon Votorantim e representantes dos Correios, na última segunda-feira. A empresa admitiu que há defasagem de funcionários desde o término do contrato - em 2014 - com uma prestadora de serviços terceirizados.

Segundo os Correios, existe possibilidade de abertura de concurso público a qualquer momento para reposição de vagas. Já o Procon afirma que "é importante restabelecer a prestação de serviço pois se trata de algo essencial, devendo, portanto, ser feita com eficiência".
Uma nova reunião deve ser realizada no dia 23 de abril, quando os Correios se comprometeram a dar um posicionamento em relação às providências adotadas para resolver as demandas, após levar solicitações do primeiro encontro às instâncias superiores da empresa. (E.F.P.)

Roubos crescem 37% em Sorocaba no 1º bimestre

Por outro lado, houve redução de 49,4% nos registros de tráfico de drogas



Sabrina Souza
sabrina.souza@jcruzeiro.com.br

As ocorrências de roubo em Sorocaba cresceram 37% nos primeiros dois meses de 2015, em comparação com o mesmo período do ano passado. Dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) divulgados na última quarta-feira mostram que, em janeiro e fevereiro deste ano, foram 715 registros deste tipo de crime na cidade, ante 521 no primeiro bimestre de 2014. Por outro lado, houve redução de 18,5% no número de furtos e 49,4% nos registros de tráfico de drogas, além de leves quedas nos casos de homicídio e latrocínio.

A maioria dos casos de roubo está relacionada a roubo de veículos, com 29% e 31% do total registrado em 2014 e 2015, respectivamente. Embora reconheça que o número de ocorrências deste tipo é alto, o delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel afirma que houve um avanço na ação das polícias com a mudança na legislação dos desmanches. "Hoje, todas as peças usadas vendidas nestes estabelecimentos devem estar vinculadas ao número do chassi do veículo", explica. A fiscalização, informa, é feita mensalmente em conjunto pelas Polícias Civil e Militar, Guarda Civil Municipal (GCM) e setor de fiscalização da Prefeitura, que emite ou cassa o alvará de funcionamento.

Em visita a Sorocaba ontem, o delegado geral de Polícia Youssef Abou Chahin destacou que o grande número de ocorrências é sazonal, sobretudo pelo início das aulas, quando um volume maior de veículos é deixado na rua. "Mas eu não vejo como uma epidemia e nós temos estudos para diminuir isso nos próximos anos", disse. Carriel cita ainda falhas na legislação, que em sua opinião colaboram para que o criminoso preso volte rapidamente às ruas. "Nos casos de flagrante, por exemplo, o crime é qualificado como roubo tentado, o que reduz a pena em um terço", ressalta. Por conta disso, acredita o delegado, "a polícia trabalha enxugando gelo com a torneira aberta".

A reportagem tentou contato com a Polícia Militar para comentar os números, mas sua assessoria de imprensa não deu retorno até o fechamento desta edição. Em recente entrevista sobre o assunto, no entanto, o capitão da PM Sidney Vieira informou que a maior incidência de roubos tem se concentrado na região norte da cidade. Nos casos específicos de roubos a veículos, o oficial citou o aumento da frota em circulação, e também a legislação que tem permitido aos acusados responderem em liberdade. Entre as ações direcionadas para o combate desse tipo de delito está a Operação Cavalo de Aço, com pontos de bloqueio nos principais corredores viários da cidade para a abordagem de veículos.


Tipo de crime
1º bimestre de 2015
1º bimestre de 2014
Homicídio doloso
9
12
Tentativa de homicídio
23
18
Lesão corporal dolosa
351
403
Latrocínio
0
1
Estupro
37
18
Tráfico de entorpecentes
84
166
Roubo de veículo
209
161
Roubo (outros)
504
360
Furto de veículo
418
483
Furto (outros)
1.151
1.442

PM é morto em tentativa de roubo

Rafael Ribeiro

do Agora
O soldado da PM Anderson Silva Duarte, 32 anos, foi morto a tiros ao reagir a um assalto, na noite de anteontem, no centro de Itapecerica da Serra (Grande São Paulo).
Segundo a polícia, os assaltantes queriam levar sua moto.
Ele estava de folga em um bar com amigos.
Este ano, ao menos 19 PMs foram mortos no Estado. Segundo a Polícia Militar, de janeiro a fevereiro, houve 15 assassinatos.
Desses, quatro estavam em serviço, cinco eram aposentados e seis estavam de folga.
Já em março houve ao menos outras quatro mortes, contando o assassinato de Duarte, de acordo com levantamento feito pela reportagem do Agora.
No caso de anteontem, segundo a polícia, uma dupla em uma moto seguiu o soldado, atraída por sua moto, e o abordou minutos depois que ele se sentou no bar, exigindo que entregasse as chaves.

Justiça libera construção de novas ciclovias na capital

Folha de S.Paulo

A gestão Fernando Haddad (PT) conseguiu ontem suspender a decisão liminar que impedia a implementação de ciclovias na cidade, com exceção da projetada para a avenida Paulista.
A decisão é do presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador José Renato Nalini.
Em primeira instância, o juiz Luiz Fernando Rodrigues Guerra havia acolhido parcialmente as alegações da promotora Camila Mansour da Silveira, de que não houve planejamento para a criação das vias para ciclistas.
Na decisão, Nalini argumentou que "falta de prévio estudo de impacto viário não é o bastante" para determinar a suspensão das ciclovias.
Disse que paralisar as obras "reduz a capacidade do município de interferir no tráfego urbano, causa pesado impacto na comunicação entre as vias e potencializa o risco de acidentes".

Paciente espera por cirurgia no braço desde fevereiro

Stephane Sena

do Agora
Há mais de um mês na fila de espera para fazer uma cirurgia no braço, o eletricista autônomo Manoel Martins Marques, 50 anos, morador do Jardim Corisco (zona norte), reclama de falta de informação do Hospital Estadual do Mandaqui, no Mandaqui (zona norte).
Marques relata que sofreu um acidente de moto em 19 de fevereiro e, no mesmo dia, procurou atendimento no hospital, onde os médicos concluíram ser necessária uma cirurgia.
"Apesar disso, disseram que estavam sem materiais para a cirurgia e que eu ia entrar em uma fila de espera. Quando pudessem marcar, ligariam para avisar."
Resposta
Em nota, a Secretaria do Estado da Saúde informou que, em até 15 dias, o paciente será chamado ao hospital para a consulta pré-operatória e internação cirúrgica.
"Não procede a informação que a cirurgia ainda não foi realizada por 'falta de materiais cirúrgicos'", disse.
Segundo a pasta, a administração do hospital tem controle sobre os seus pacientes que aguardam cirurgia, "mas as informações são passadas apenas para o paciente".

Casas ainda recebem água com mau cheiro na zona sul

Funcionário da Sabesp retira amostra de água

Alan Santiago

do Agora
Moradores do Jardim Turquesa, em M'Boi Mirim (zona sul), continuaram recebendo água com mau cheiro ontem, mesmo depois de a Sabesp dizer que fez reparos na tubulação da área.
O líquido sai das torneiras transparente, mas tem cheiro forte.
Agora mostrou ontem que ao menos 25 casas estavam recebendo água com cheiro de esgoto e cor amarronzada desde domingo.
Ao menos 15 pessoas ficaram doentes, dizem moradores.
Eles afirmam ainda que não receberam informações da empresa de quando poderão voltar a consumir a água da rede, mesmo depois da ida de técnicos da companhia, na tarde de anteontem.
Resposta
A Sabesp afirma, em nota, que os trabalhos para "lavagem da rede" foram concluídos anteontem. A empresa acrescenta que isso "regularizou a situação".
"A companhia permanece acompanhando o caso e orientando os moradores da região."
O texto afirma que técnicos conversaram com moradores na tarde de anteontem e deram orientações e um formulário com os procedimentos recomendados de lavagem das caixas-d'água.
Uma nova amostra de água do local foi levada para análise laboratorial, conforme o padrão de controle de qualidade, segundo a nota.
A empresa não se pronunciou sobre possíveis multas para os clientes pela necessidade de limpeza e lavagem de seus reservatórios.

Lixo acumulado em greve infesta de ratos casas no ABC

Stephane Sena

do Agora
Passar inseticida e encher a casa de ratoeiras é a rotina dos moradores de Santo André (ABC) para evitar a invasão de ratos e insetos, como moscas e baratas, causada pelo lixo acumulado nas ruas, resultado da greve de garis e coletores iniciada na segunda-feira passada.
Segundo o sindicato da categoria, os serviços de coleta e varrição pararam 130 cidades de todo o Estado.
A entidade pede reajuste salarial de 11,73% (leia abaixo).
Ontem, nas ruas do Parque Gerassi, em Santo André, mosquitos e moscas voavam sobre sacos de lixo acumulados nas calçadas.
Na vizinhança, o mau cheiro era muito forte.
"A gente entra em casa e se depara com baratas, quando sai na rua vê os ratos tomando conta. Ninguém resolve essa greve e quem sofre é a população", afirmou a dona de casa Cleunice Pavão, 46 anos.

Mesmo sem chuva, nível do Cantareira continua aumentando

  • 27/03/2015 14h16
  • São Paulo
Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Mesmo com a elevação, o Cantareira segue em nível crítico. Pelo novo método de cálculo, que passou a ser usado no dia 16, o nível do  Sistema Cantareira aumentou de 14,1% para 14,3%. O volume armazenado atingiu 181,1 bilhões de litros. O novo método considera a utilização do volume morto, ou seja, abaixo das comportas.
O nível do Sistema Cantareira, o maior manancial de abastecimento da região metropolitana de São Paulo, alcançou o 21º dia consecutivo de alta. Mesmo sem ocorrência de chuvas, o nível do sistema passou de 18,2% ontem (26) para 18,4% hoje (27), segundo cálculo da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).
A ausência de chuvas afetou os demais mananciais, que também apresentaram leves variações. De ontem para hoje, o nível do Alto Tietê caiu de 23,1% para 23%. No mesmo período, o Sistema Rio Grande baixou de 98% para 97,8%. O Alto Cotia e o Rio Claro aumentaram a capacidades de, respectivamente, 64,1% para 64,3% e de 43,5% para 43,6%. A represa Guarapiranga manteve o nível em 85%.

Professores de São Paulo fazem caminhada por melhores salários

  • 27/03/2015 20h41
  • São Paulo
Elaine Patrícia Cruz - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro
Terminou por volta das 18h30 de hoje (27) a caminhada d Os professores da rede estadual de São Paulo fizeram caminhada hoje (27), no centro da capital paulista, depois de decidirem, em assembleia, manter a greve iniciada no último dia 13. Eles reivindicam, principalmente, reajuste salarial de 75,33%, enquanto o governo diz que já deu 45% de aumento acumulado para a categoria nos últimos quatro anos.
Ao final do ato, no início da noite, na Praça da República, em frente à Secretaria Estadual de Educação, a Polícia Militar (PM) contabilizou a presença de 10 mil professores e estudantes na caminhada. Já o Sindicato dos Professores no Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) estimou a presença de 50 mil pessoas. Foi a terceira assembleia dos professores nesses 15 dias de paralisação, e a que mais reuniu manifestantes.
A caminhada foi pacífica. O único incidente foi logo no começo do ato, na saída do vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), quando alguns manifestantes tentaram forçar a passagem, enquanto a PM tentava segurar o andamento dos professores. Mas o tumulto durou pouco tempo.
Na Praça da República, alguns professores sentaram no chão para escrever, com giz colorido, mensagens ao governo paulista, pedindo reajuste salarial e melhores condições nas salas de aula.
Durante o percurso, a reportagem da Agência Brasil conversou com alguns professores. Um deles, professor de história de uma escola da zona leste da capital há um ano, não quis se identificar por medo de represália. Ele disse que decidiu entrar em greve principalmente por causa das salas lotadas e das más condições das escolas públicas. “Tenho colegas que têm até 80 alunos na sala de aula. Falta até papel higiênico”, revelou.
Ana Vitalina de Souza, que leciona há 21 anos e dá aulas de geografia em uma escola da zona oeste paulistana, contou que está em greve por causa das más condições de trabalho; pelas salas superlotadas e quebradas. "Na escola em que trabalho não tem nem mesa para o professor colocar seu próprio material para dar aula. No começo do ano faltou até giz e papel higiênico. Tudo isso revolta a gente. Tenho 21 anos de trabalho e me efetivei no ano passado com salário de R$ 1,6 mil, para 20 aulas, bem menor do que quando entrei. Isso, fora a violência que a gente sofre na sala de aula”, acrescentou.
A professora disse que com esse salário precisou da ajuda da filha para pagar seu aluguel. “Não dá para sobreviver, ganhar R$ 1,6 mil de trabalho e pagar R$ 1,4 mil de aluguel”, falou ela, que dá aulas também na rede particular para poder garantir seu sustento. Na escola em que leciona, Ana contou que cerca de 80% dos professores entraram em greve.
Por meio de nota à imprensa, a Secretaria de Educação informou que a decisão do sindicato, de manter a greve, “é extemporânea e ofensiva aos pais e alunos paulistas, uma vez que a categoria recebeu o último aumento salarial há sete meses, em agosto de 2014, o que consolidou um reajuste de 45%”.
“É injustificável, portanto, uma paralisação sem qualquer tentativa prévia de negociação com a pasta”, diz o comunicado. A Apeoesp informou, no entanto, que a primeira rodada de negociação está agendada para segunda-feira (30).
A Apeoesp diz que 140 mil professores já aderiram à greve nas escolas, enquanto a secretaria diz que o comparecimento de professores às aulas “ficou em 92% ao longo da semana”.
“O registro mostra uma oscilação em relação à média diária de ausências, que têm sido supridas pelo grupo de 35 mil professores substitutos. Estes profissionais, abastecidos com os planos de aula e com materiais didáticos, são acionados de maneira rotineira para levar o conteúdo à sala de aula”, diz a secretaria.

Carteiro é preso com mais de 7 mil correspondências em casa na Argentina

Um argentino de 29 anos que trabalhava havia seis meses como carteiro na província de Córdoba (centro) foi preso nesta sexta-feira, depois de serem encontradas mais de 7.000 cartas em sua residência, informou a polícia.
O carteiro da cidade de Embalse invés de entregar a correspondência diária, guardava tudo em casa.
"Não sabemos ainda com que objetivo fazia isso", afirmou a polícia.
A descoberta foi casual depois da denúncia do roubo de eletrodomésticos que resultou na revista da casa do carteiro, onde a polícia achou as cartas, cartões de crédito, faturas, intimações acumuladas e em sua maioria fechadas.
O carteiro enfrenta agora processos de violação de correspondência e comunicações.
São Paulo - O diretório municipal do PT anunciou nesta sexta-feira, 27, que vai pedir a participação da Polícia Federal nas investigações do atentado à bomba contra o diretório Zonal do partido no Centro de São Paulo. De acordo com o presidente municipal do PT paulistano, vereador Paulo Fiorilo, a explosão da bomba no diretório do Centro na madrugada de quinta-feira junto com o atentado à sede do partido em Jundiaí no dia 15, depois das manifestações contra o governo da presidente Dilma Rousseff, mostram que os crimes têm natureza política. 
"Essa atividade é uma demonstração de ódio e intolerância que se criam por vários grupos e pessoas", disse Fiorilo. "Se colocado com o que ocorreu em Jundiaí podemos dizer que é um crime contra o PT de característica política", completou o dirigente.
A sede do diretório zonal do PT no Centro de São Paulo foi atingida por um explosivo por volta das 3h da madrugada de quinta-feira. A explosão destruiu parte da entrada do diretório mas não fez nenhuma vítima. No dia 15, depois da onda de manifestações contra o PT em todo País, o diretório do partido em Jundiaí também foi atingido por uma bomba. Na porta do local os agressores escreveram "fora PT". O partido reclamou do fato de o caso estar sendo tratado pela Polícia Civil como crime comum de vandalismo e não como crime político. 
Segundo Fiorilo, o partido tem sido alvo de hostilidades nos últimos meses. Ele ainda vai marcar uma reunião com a chefia da PF em São Paulo para pedir a entrada da corporação na investigação. Segundo advogados do partido, o pedido se baseia no artigo 144 da Constituição que atribui à PF responsabilidade por apurar "infrações contra a ordem política".

Estado de São Paulo confirma 100 mil casos de dengue neste ano

Dengue ameça cidades de São Paulo Divulgação
Em 1/3 do Estado, dengue supera total de casos de 2014© Fornecido por Estadão Em 1/3 do Estado, dengue supera total de casos de 2014
SÃO PAULO - Subiu para 100 mil o número de casos de dengue confirmados no Estado de São Paulo, desde o início do ano, alta de 116% em relação ao primeiro trimestre de 2014. Dados da Secretaria Estadual da Saúde divulgados nesta sexta-feira, 27, mostram ainda que mais de um quarto dos municípios paulistas já vive epidemia da doença, com taxa de incidência superior a 300 casos por 100 mil habitantes.
Em apenas três dias, a lista de pacientes infectados pela dengue ganhou 14 mil novos nomes - balanço divulgado na terça-feira confirmava 86 mil casos. Se contabilizados os registros que ainda estão em investigação, o número de notificações chega a 234 mil. Já são 70 mortes confirmadas desde o início de janeiro.
Estrela D’Oeste, na região de São José do Rio Preto, no norte do Estado, é o município com a maior taxa de incidência: 8.923 casos por 100 mil habitantes. Em seguida na lista das cidades mais afetadas estão Trabiju, Guararapes, Florínia e Aguaí.
O avanço da dengue no Estado fez a secretaria anunciar na terça-feira um plano de emergência contra a doença. O número de agentes do governo do Estado que atuarão junto às Prefeituras no combate à doença vai passar de 500 para mil. A secretaria recrutou ainda 30 médicos da Polícia Militar para auxiliar no atendimento aos doentes.
Dicas para evitar a dengue
Capital. Na capital, onde o número de casos cresceu 214% em relação ao mesmo período do ano passado, uma das três tendas emergenciais para atendimento a pacientes anunciadas na quinta-feira, 26, começará a ser montada na segunda-feira, na Unidade Básica de Saúde do Jardim Vista Alegre, na região da Brasilândia, zona norte, bairro mais afetado pela dengue.
As outras duas tendas serão montadas em unidades de saúde da Freguesia do Ó e do Jaraguá, também na zona norte. A região concentra 47,5% dos casos de dengue. Apesar da alta de registros, a taxa de incidência da doença na capital paulista, de 37,9 casos por 100 mil habitantes, ainda é considerada baixa, de acordo com a classificação do Ministério da Saúde.

Namorada de copiloto diz que ele tinha grave depressão, segundo TV francesa

A televisão, que não citou as fontes dessa informação, afirmou que a namorada foi interrogada ontem à noite pelos investigadores alemães.
A namorada do copiloto do Airbus A320, o alemão Andreas Lubitz, teria confirmado aos investigadores que ele sofria um quadro de 'grave depressão', assinalou nesta sexta-feira o canal francês 'iTélé'.
A televisão, que não citou as fontes dessa informação, afirmou que a namorada foi interrogada ontem à noite pelos investigadores alemães.
O canal acrescentou que os pais de Lubitz serão interrogados pela polícia francesa, já que se encontram na cidade de Seyne-les-Alpes, perto de onde a aeronave da companhia Germanwings, que fazia o trajeto entre Barcelona e Düsseldorf, caiu com 150 pessoas a bordo.
Os investigadores do caso já apreenderam todos os documentos médicos do copiloto, que estão sendo analisados, depois de a gravação extraída da caixa-preta recuperada indicar que ele teria intencionalmente derrubado o avião.
O copiloto, de 27 anos, tinha um atestado médico para o dia e ocultou sua doença da Germanwings, informou a promotoria federal de Düsseldorf hoje . 

Ronaldo Ésper dispara: "Acredito que Clodovil foi assassinado"

onvidado do "Programa Raul Gil", que vai ao ar no próximo sabado (28), no SBT, Ronaldo Ésper deu uma declaração para lá de polêmica a respeito da morte de Clodovil Hernandes - em março de 2009.
"Eu acredito que Clodovil foi assassinado por uma pessoa que frequentava a casa dele", disparou, para espanto do público.
FAMOSIDADES© AgNews FAMOSIDADES
Contudo, o estilista destacou: "Mas não posso provar".
Clodovil sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) e foi internado às pressas, em março de 2009, em Brasília, DF. Permaneceu na UTI, Unidade de Terapia Intensiva, por dois dias, quando sua morte cerebral foi confirmada.

Filho adotivo de casal gay morreu de causas naturais, diz laudo

SÃO PAULO - O estudante Peterson Ricardo Teixeira de Oliveira, de 14 anos, filho adotivo de um casal gay, que supostamente teria sido agredido em uma escola na cidade de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, morreu de causas naturais, segundo aponta laudo do exame necroscópico.
Peterson morreu após passar mal na escola, cerca de quatro horas depois de se envolver em uma discussão com colegas de classe no dia 5 de março. Com quadro de parada cardiorrespiratória, ele deu entrada no Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, onde passou quatro dias em coma antes de morrer.
No dia em que Peterson foi internado, a Polícia Civil recebeu uma denúncia anônima afirmando que o adolescente havia sido espancado por um grupo de jovens. O motivo da suposta briga era por ele ser filho adotivo de um casal gay. Um inquérito policial chegou a ser aberto para apurar o caso, mas a denúncia não se confirmou.
Já no hospital, os policiais constataram que Peterson não apresentava sinais de agressão, nem qualquer lesão na calota craniana que pudesse ter ocasionado o mal súbito. A informação foi confirmada pelo médico legista no laudo, segundo o qual o corpo "não demonstra sinais de violência externa".
A conclusão é que Peterson tinha uma doença no coração, chamada cardiomiopatia hipertrófica (quando o miocárdio é maior que o normal), que pode provocar arritmias e, consequentemente, paradas cardiorrespiratórias.
"Concluímos que o periciando era portador de cardiomiopatia hipertrófica que ocasionou o quadro de tromboembolismo pulmonar que o levou a óbito, portanto, morte natural", diz o laudo. Com o resultado do exame, as investigações devem ser encerradas. 

Novo ministro foi tesoureiro da campanha à reeleição de Dilma

Novo ministro foi tesoureiro da campanha à reeleição de Dilma© Fornecido por Estadão Novo ministro foi tesoureiro da campanha à reeleição de Dilma
SÃO PAULO - Duas vezes seguidas prefeito de Araraquara (SP) (entre 2001 e 2008), deputado estadual (2010-2014) e presidente do PT no Estado de São Paulo, Edinho Silva, indicado nesta sexta-feira, 27, para a Secretaria de Comunicação da Presidência, foi escolhido por Dilma para ser o coordenador financeiro da campanha da presidente à reeleição, em 2014. Em dezembro, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovaram com ressalvas as contas da petista. Ele desistiu de ser candidato a deputado, federal ou estadual, para assumir a tesouraria da campanha.
Edinho já foi presidente do partido em São Paulo e foi cotado para assumir a Autoridade Pública Olímpica (APO), consórcio formado pelos governos federal e fluminense e pela prefeitura do Rio que coordena as ações dos Jogos Olímpicos de 2016. O cargo está vago desde fevereiro com a saída do general Fernando Azevedo e Silva. Mas, diante da conflagração da base aliada no Congresso e de ameaças de retaliações, a avaliação do Planalto é que seu nome poderia ser rejeitado pelo Senado. A votação entre os senadores é secreta.
Diferentemente de Thomas Traumann, ministro anterior, que é jornalista, Edinho é sociólogo pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara e tem mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Ele já foi office-boy, operário e atleta de base do time de futebol Ferroviária.
Dentro do PT é tratado como um articulador mais moderado, mas crítico, e conhecido pelo bom trânsito com o setor empresarial. Ele integra a corrente interna Construindo um Novo Brasil (CNB), majoritária no PT e a mesma do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A posse de Edinho Silva será na próxima terça-feira.

PMDB está disposto a perder ministério se Dilma reduzir número de pastas, diz Temer

O vice-presidente da República, Michel Temer, disse nesta sexta-feira que o PMDB, partido do qual é presidente, está disposto a perder ministérios caso a presidente Dilma Rousseff decida reduzir o número de pastas, atualmente em 39.
Vice-presidente Michel Temer no Palácio da Alvorada
A declaração do vice foi feita no momento em que o Executivo tenta implementar medidas de austeridade para atingir a meta de realizar um superávit primário equivalente a 1,1 por cento do PIB.
Temer fez uma palestra sobre a reforma política no Sindicato da Habitação da Cidade de São Paulo (Secovi) e, em entrevista a jornalistas, falou da disposição do PMDB de abrir mão de parte dos seis ministérios que ocupa em prol de uma redução do número de pastas.
"Se houver uma decisão presidencial de redução (de ministérios), o PMDB está disposto a conversar e entregar o que seja necessário. Quando se escolhe ministros, quem escolhe é a presidente, não é o partido", disse o vice a jornalistas.
Atualmente peemedebistas comandam os ministérios dos Portos, de Minas e Energia, da Aviação Civil, da Pesca, da Agricultura e do Turismo.
A redução do número de ministérios foi defendida pelos adversários de Dilma na eleição presidencial do ano passado e, mais recentemente, por lideranças peemedebistas, como os presidentes do Senado, Renan Calheiros (AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (RJ).
Cunha, inclusive, é autor de uma proposta de emenda à Constituição que tramita no Congresso e limita em 20 o número de ministérios.
Durante a campanha eleitoral, Dilma costumava responder às sugestões de diminuição do número de pastas pedindo que os adversários apontassem quais delas deviam ser eliminadas.
Nesta semana, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadate, argumentou que a redução no número de ministérios teria pouco impacto em termos de economia nas contas públicas, pois as atribuições de uma pasta que deixaria de existir teriam de ser absorvidas por um outro ministério. 

Renato Janine Ribeiro é o novo ministro da Educação

ctv-afy-renatojanineribeiro© Fornecido por Estadão ctv-afy-renatojanineribeiro
Brasília - Depois de uma semana de indefinição, a presidente Dilma Rousseff bateu o martelo e escolheu o professor titular de Ética e Filosofia Política na Universidade de São Paulo (USP) Renato Janine Ribeiro para assumir o comando do Ministério da Educação (MEC).
Segundo o Estado apurou, Renato Janine já vem cuidando da transição na pasta com auxiliares do MEC. Janine Ribeiro foi diretor de avaliação da Capes entre 2004 e 2008, é doutor em filosofia pela USP e tem mestrado em filosofia pela Sorbonne.
Janine Ribeiro foi um dos primeiros nomes especulados para assumir o MEC quando se revelou a intenção de a presidente optar por um perfil de um educador, mais técnico, e não por um político para a pasta. Autor de 18 livros, ganhou o Prêmio Jabuti, na categoria de Ensaios, em 2001.
Sucessão. Renato Janine assume a vaga deixada pelo ex-governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), que pediu demissão do cargo depois de desavenças com o Congresso Nacional. 
Logo depois da queda de Cid Gomes, internautas se mobilizaram em uma campanha para que Renato Janine fosse indicado para a pasta. "A indicação para o titular do MEC corre o risco de ser apenas política. Muito ruim para um país que tanto precisa de educação. Mas Dilma já demonstrou que deseja colocar no MEC um educador independente, vamos ajudá-la", diz um dos textos publicado no Facebook.
A presidente Dilma Rousseff escolheu como lema de seu segundo mandato "Pátria Educadora" e pretende dar mais visibilidade às ações na área pelos próximos quatro anos

sexta-feira, 27 de março de 2015

EMTU assumirá serviço de transporte na RMS


Anderson Oliveira
anderson.oliveira@jcruzeiro.com.br

O transporte intermunicipal nas 26 cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) deve se tornar oficialmente de responsabilidade da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) no fim de abril. Vinculada à Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, a empresa pública deve iniciar nos próximos dias estudos sobre a organização do transporte regional e a melhor forma de atender às necessidades da RMS. O anúncio foi feito ontem pela EMTU, no Parque Tecnológico de Sorocaba, em apresentação para prefeitos e representantes dos 26 municípios da região.

A EMTU é responsável por administrar o transporte intermunicipal nas outras quatro Regiões Metropolitanas do Estado de São Paulo: Grande São Paulo, Baixada Santista, Campinas e Vale do Paraíba. O modelo de gestão no transporte já em andamento nestas regiões, segundo o presidente da empresa, Joaquim Lopes, deve ocorrer também na RMS. "Com a criação da região metropolitana, a questão da mobilidade, com pessoas que moram em um lugar, estudam ou trabalham em outro, precisa ser organizada", afirma.

Deve demorar 60 dias até que toda a documentação relativa à RMS seja repassada da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), que administra o transporte intermunicipal, à EMTU. Após esse período, será feito um trabalho de pesquisa para conhecer a dinâmica da mobilidade na região.


Padronização


A primeira ação efetiva da EMTU, na RMS, deve ser a padronização visual do transporte metropolitano. "No segundo semestre já começamos a implantar a padronização visual do serviço", comenta Lopes. Em meio a isso, a empresa deve elaborar estudos técnicos sobre as linhas de ônibus, itinerários, tarifas e situação das frotas.

Penitenciária masculina é inaugurada em Mairinque

Unidade fica na zona rural da cidade, no limite com Alumínio (SP).

Obras custaram R$ 40 milhões ao governo do Estado.

Do G1 Sorocaba e Jundiaí
A região de Sorocaba (SP) ganhou mais uma penitenciária masculina. A nova unidade, localizada na Zona Rural de Mairinque (SP), no limite com o município de Alumínio, foi inaugurada nesta quinta-feira (26) e tem capacidade para 847 presos do regime fechado.
Diversas autoridades, entre elas, o secretário de Administração Penitenciária, participaram da cerimônia de abertura. Depois, visitaram todas as instalações para conhecer o complexo, onde trabalharão 190 funcionários. A inauguração da unidade faz parte do critério de regionalização do sistema prisional do estado. "Nós temos quase 800 presos que são da região e que se encontram em unidades prisionais distantes, então, um dos objetivos dessa construção foi de repatriar essas pessoas presas, trazê-las para perto das famílias e facilitar para que as famílias possam visitá-las com mais frequência", diz o secretário, Lourival Gomes. As obras custaram R$ 40 milhões. 

"É um mal necessário. A gente sabe que precisam ser construídas penitenciárias. Nós vamos ter que ajudar na escolta, vamos ter que ajudar a cuidar da saúde dos detentos, então tudo isso gera uma certa desconfiança, se nós vamos ser ou não beneficiados pela instalação da penitenciária no município", diz Binho.
Polêmica

Se por um lado a penitenciária vai ajudar os detentos e suas famílias, por outro, há quem reclame da instalação do complexo no local. Para o prefeito de Mairinque, Binho Merguizzo, ainda restam dúvidas se o presídio vai trazer benefícios para a região.
Penitenciária custou R$ 40 milhões ao Estado (Foto: Reprodução/TV Tem)Penitenciária custou R$ 40 milhões ao Estado (Foto: Reprodução/TV TEM)