segunda-feira, 12 de junho de 2017

Fux diz que TSE usou ‘artifício’ para excluir delações do julgamento da chapa Dilma-Temer


Em ato falho, vice-presidente do TSE chama Cármen Lúcia de ‘presidente da República’


Indagado sobre supostas investigações da Abin ao ministro Edson Fachin, relator da operação Lava-Jato, a pedido do presidente, o ministro elogiou a nota oficial da presidente do STF, Cármen Lúcia sobre o caso, embora tenha chamado a ministra de “presidente da República”.
— Não verifiquei nenhuma pressão governamental antes do julgamento. O que entendo como atitude institucional independente, porque é inaceitável um poder que queira achar o outro, foi a nota da presidente da República. Porque o governo utilizar o seu aparato para suposta perseguição a juízes é um caso notório de ilícito, quando nada uma improbidade.
Durante a palestra, mencionou em mais de uma ocasião, a importância do judiciário para o país. No entanto, fez uma crítica ao sistema que supostamente sobrecarrega o judiciário, afirmando que as questões polêmicas são repassadas pelo parlamento pelo medo de envolvimento de seus representantes.
— Eles (parlamentares) têm medo de se posicionar, porque foram eleitos. No Brasil, uma vez convocada, a Suprema Corte deve atuar. O que podemos fazer, até por questão estratégica, é o pedido de vista. Essa litigiosidade desenfreada é real.
Mesmo crítico, mostrou-se atento às demandas recentes criadas pela instabilidade política e proferiu:
— O judiciário não vai faltar neste momento de dor. Vamos levar o Brasil ao porto e não ao naufrágio.


Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/fux-diz-que-tse-usou-artificio-para-excluir-delacoes-do-julgamento-da-chapa-dilma-temer-21467204#ixzz4jqXSv9Qr 
stest 

Nenhum comentário:

Postar um comentário