sábado, 17 de junho de 2017

José Cunha: baixando a bola

José Cunha
6 h
Volto ao tema:
Pela reação de alguns petistas a uma possível aliança pontual na luta por eleições diretas, convenço-me de que fomos nós quem ensinamos ao povo brasileiro a ter nojo da política.
 Essa história de o Lula estar à frente nas pesquisas criou na cabeça de certas pessoas a ilusão de que vamos resolver tudo sozinhos.
Minha gente, não somos o Partido Bolchevique e não estamos na Rússia em abril de 1917. Estamos tentando - tentando - colocar de pé um movimento pelo direito elementar de votar. Estamos tentando tirar do governo um presidente comprovadamente corrupto e que está acabando com nossos direitos. Qualquer passo nessa direção é válido.
Muitos leram sobre as fissuras interburguesas em momentos de crise, mas quando elas estão presentes preferem ficar falando para si mesmos.
Não estamos com essa bola toda não, pessoal. Se a luta para derrubar Temer for pra valer (e não só discurso de facebook) vale chamar todo mundo. O que virá depois? Sei lá. Na política, como na vida, não dá para seguir um script. Se fosse assim, muita coisa não teria acontecido.
Vamos parar de nos comportar como seita. Parem de se iludir com pesquisa. Vale movimento por diretas, vale greve geral, vale micareta, vale qualquer movimento para quebrar a trajetória do golpe. É o que eu penso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário