quinta-feira, 1 de junho de 2017

Trump anuncia retirada dos EUA dos acordos climáticos de Paris



Presidente diz que para retornar ao pacto, Washington tem de renegociar termos justos para a economia americana: 'o acordo de Paris é o último exemplo de como Washington entra em pactos injustos para os trabalhadores americanos. Não é disso que precisamos'




O Estado de S.Paulo
01 Junho 2017 | 15h46
Atualizado 01 Junho 2017 | 17h08
WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quinta-feira, 1, a retirada do país dos  acordos climáticos de Paris.  Apesar de desistir do pacto, no entanto, o presidente disse em discurso na Casa Branca,que o está disposto renegociar os termos de entrada no país no acordo, de uma maneira que seja justa e proteja os interesses americanos.  Num discurso bastante populista e nacionalista, Trump vinculou o pacto climático a tentativas de solapar a economia americana em benefício de países europeus e nações em desenvolvimento. 
"Para proteger o povo americano e seus cidadãos, os Estados Unidos vão se retirar dos acordos do clima de Paris", disse Trump. "Para renegociar sua entrada, precisamos de termos justos com o povo, as empresas e os contribuintes dos Estados Unidos."

Trum anuncia retirada dos acordos de Paris
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a retirada do país dos acordos climáticos de Paris nesta quinta-feira, 1, na Casa Branca Foto: / AFP PHOTO / Brendan Smialowski
Ainda de acordo com Trump, os Estados Unidos vão interromper todas as implementações não obrigatórias dos acordos de Paris. "As regulamentações do setor energético podem custar 2,7 milhões de empregos até 2025", disse o presidente. "O acordo de Paris é o último exemplo de como Washington entra em pactos injustos para os trabalhadores americanos. Não é disso que precisamos."
 Casa Branca informou com antecedência a decisão a membros do Congresso e membros de grupos conservadores céticos em relação ao aquecimento global. "Esse acordo não é sobre o clima, mas sobre outros países ganhando vantagem econômica sobre os Estados Unidos", resumiu Trump. "Sob essa administração, os Estados Unidos serão o país mais ambiental e limpo do mundo."
O presidente ainda criticou o Fundo Verde do Clima - um mecanismo da ONU para ajudar países em desenvolvimento a lutar contra o aquecimento global. "Apesar do nome bonito, esse fundo é uma maneira disfarçada para distribuir riqueza para outros países", disse. "Líderes estrangeiros não podem dizer mais sobre a economia americana que nossos próprios cidadãos."
Uma vez concluída a retirada do pacto de Paris, os Estados Unidos se juntarão à Nicarágua e à Síria como os únicos países que não aderiram ao esforço global para conter as mudanças climáticas que afetam o planeta. /AP

Nenhum comentário:

Postar um comentário