quarta-feira, 5 de julho de 2017

Favela do Moinho chora rios de lágrimas pelo menino Leandro, assassinado pela PM


Jornalistas Livres adicionou 4 novas fotos.
Publicado por Guilherme ImbassahyOntem às 17:28
Favela do Moinho chora rios de lágrimas pelo menino Leandro, assassinado pela PM
Entre louvores entoados aos prantos, alguns pedem para cantar a música da igreja que de Leandro mais gostava, e tem por título ‘Ressuscita-me’, que faz uma analogia com a passagem do Novo Testamento, João 11, quando Jesus ressuscitou Lázaro depois de 4 dias da sua morte.
Em um trecho da música fala: “Remove a minha pedra, me chama pelo nome, muda a minha história, ressuscita os meus sonhos, transforma a minha vida, me faz um milagre, me chama para fora. Ressuscita-me!” Todos cantam encharcados por rios de lágrimas que consolavam e lavavam a alma.
Uma parente de Leandro gritava: “Ressuscita, Deus, o Leandro!”, a irmã caiu em prantos e veio ao chão, como se tudo que estivesse ao seu redor desmoronasse.
O caixão de Leandro estava ao centro da igreja, com uma coroa de flores à direita. Assim como Jesus, que foi marginalizado e torturado antes de ser crucificado, o menino Leandro foi torturado antes dos tiros finais.
Fotos de Bianca Araújo (1 e 2) e Tuane Fernandes (3 e 4) | Jornalistas Livres
Matéria de: Bianca Araujo / Jornalistas Livres

Nenhum comentário:

Postar um comentário