sexta-feira, 14 de julho de 2017

“PIB” do BC cai 0,5% em maio. Era óbvio, né?

ibcmai17
Passamos o tempo ouvindo, a partir de cada dado episódico e localizado, que a economia brasileira, “de volta aos trilhos” e, ainda hoje, lê-se a conversa fiada de que “a recessão acabou”.
O IBC-Br (Índice do Banco Central), considerado uma “prévia” da medição do PIB, feita pelo IBGE, caiu 0,5% – contra uma expectativa de crescimento de 0,5 por cento na mediana das projeções colhidas pela agência Reuters –  em maio ante abril.
O resultado “zera” o crescimento acumulado no ano, (uma queda de 0,05% no ano) e, se conseguir “virar” para o positivo no ano é apenas porque o segundo semestre de 2017 ficar um pouco acima do de 2016 será a diferença, apenas, entre desastre e tragédia.
Qualquer pessoa honesta, ao analisar os dados da atividade econômica sabe que o resultado positivo do PIB do primeiro trimestre foi inflado por uma elevação dos preços das commoditties agrícolas e minerais que não se sustentou e que dificilmente se repetiria.
E, também que a produção industrial se “pendurou” numa recomposição de estoques e não num acréscimo efetivo de consumo.
Não há, sem mudança na política econômica, reversão consistente da situação, exceto por fatores externos que, aliás, têm andado mais padrinhos que madrastas.
Maio, mês em que na metade estourou o escândalo da JBS marcou uma inflexão negativa nas expectativas econômicas, ausente das entrevistas mas presente, infelizmente, na realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário