quinta-feira, 27 de julho de 2017

Só o dinheiro gosta de Michel Temer

Tijolaço

compp
Da pesquisa CNI Ibope, que acaba de ser divulgada, informando que a popularidade de Michel Temer cai atingiu seu nível mais baixo com os que que avaliam o governo como ótimo ou bom recuando de 10% dos entrevistados, em março, para apenas 5% em julho, enquanto os que avaliam o governo como ruim ou péssimo sobem de 55% para 70%.
“O percentual de aprovação da maneira de governar do presidente Temer é de 22% entre os entrevistados com renda familiar de mais de cinco salários mínimos, o dobro do percentual considerando o total da amostra.”
comp2Temer, apesar disso, consegue superar o recorde de impopularidade de José Sarney, na fase pós- Plano Cruzado, quando era apedrejado nas ruas do Rio de Janeiro. Nunca antes na história deste país – ao menos nos registros do Ibope pós-ditadura, um presidente da República teve tão baixo grau de aprovação.
Só 11% preferem o Governo Temer, numa bofetada estatística aos que ainda acham que o impeachment serviu para algo senão atirar nosso país numa desgraça institucional e econômica.
Mas o que está ruim, na opinião da maioria, ainda vai piorar.
comp3Das 2 mil entrevistas realizadas pelo Ibope em 125 municípios, de  13 a 16 de julho (antes, portanto do reajuste dos combustíveis), nada menos que 1.300 (65%) apostam que a situação do país no restante do governo Michel Temer, que será ruim ou péssimo até seu fim
Apenas 9% guardam esperanças que seja bom ou ótimo.
Seja com o 5% que lhe dá o Ibope ou com os 2% que lhe deu a pesquisa Ipsos Pulso Brasil, o fato é que Michel Temer é uma ojeriza nacional.
Mas está a ponto de conseguir maioria no Congresso para dizer que as malas de Loures não vêm ao caso.
Enquanto a turma da toga trata de evitar que o Brasil possa ter um presidente que retome o vigor do Estado brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário