quinta-feira, 6 de abril de 2017

Reforma da Previdência O capital reage para tirar direitos dos trabalhadores

Jornalistas Livres
Reforma da Previdência O capital reage para tirar direitos dos trabalhadores
O desespero bateu na direita quando o Estadão divulgou pesquisa que mostra enorme dificuldade em aprovar a reforma da Previdência No mesmo dia, pelo mesmo jornal ficamos sabendo que surge um novo movimento para defender a reforma da previdência, puxado pelo CLP (Centro de lideranças públicas.)
Quem financia o movimento, se não ao mercado financeiro, Itaú, BTG, Armínio Fraga Neto, da Gavéa Investimentos. Já no conselho temos a presença de José Roberto Marinho, Eduardo Mufarej (Grupo Abril). Ou seja, dá para perceber duas coisas: como estes grupos de comunicação tem lado e não são nada neutros e como o capital age na luta de classes. O capital e os rentistas vão defender os seus interesses, e o povo deve se juntar para defender os seus direitos.
Este grupo irá agir na rede contra os direitos do povo e querem a reforma da previdência para poder abrir espaço no orçamento para ganhar mais dinheiro com juros da dívida pagos pelo governo.
O movimento liderado pelo CLP tem como foco aumentar a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres e impedir a acumulo de duas aposentadorias e ou pensões.
Vamos esclarecer com um exemplo corriqueiro: quando falece o marido, a sua esposa recebe a pensão pela morte de seu companheiro., e se ela contribuiu para a previdência também se aposenta, com isso ganha duas aposentadorias, normalmente de um salário mínimo cada. Oras se o marido contribuiu a vida toda para a previdência nada mais justo que estes recursos sejam destinados à viúva.
as imagens abaixo mostram parte dos mantenedores e do conselho do CLP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário