terça-feira, 11 de julho de 2017

MPF (de Brasília. claro) diz que Delcídio armou com acusação a Lula

delbarga
O procurador da da República Ivan Marx  pediu o arquivamento de uma das duas investigações por obstrução de justiça do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, abertas a partir da delação do ex-senador Delcídio do Amaral.
Na manifestação do procurador, ele afirma que o ex-senador Delcídio do Amaral  não apresentou provas e que pode ter citado Lula em seu depoimento – onde disse que o ex-presidente queria se unir a senadores para “acompanhar” a Lava Jato –  apenas como forma de “aumentar seu poder de barganha” para obter um acordo de delação premiada.
Marx não apresentou relatório sobre a segunda investigação, sobre um interesse de Lula em proteger Nestor Cerveró, de deu a entender que terá destino semelhante:
“Ressalte-se de não estar aqui adiantando a responsabilidade ou não do ex-presidente Lula naquele processo mas apenas demonstrar o quanto a citação do seu nome ainda que desprovida de provas em determinados casos pode ter importado para o fechamento do acordo de Delcidio inclusive no que se refere a amplitude dos benefícios recebidos”.
Por isso, afirma Ivan Marx, o que Delcídio diz, sem apresentar provas, “perde credibilidade”.
Era o destino que teria o processo do “triplex” se tivesse caído nas mãos de um procurador equilibrado, que levasse em conta a existência de provas – e não suas “convicções” pessoais – para iniciar ações penais.
Sem powerpoint, sem histeria, sem vedetismo, sem “glória ao Senhor”.
Apenas com Justiça.
Lá em Curitiba, ninguém se importa com isso.
Ah, a propósito, Delcídio vai perder as regalias que a delação lhe deu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário