segunda-feira, 17 de julho de 2017

Veja como foi o Sarau do sétimo dia e fotos do evento

Recado aos Vereadores: Escrito com carvão no estacionamento da Câmara Municipal


O sarau do sétimo dia  foi um evento maravilhoso  e por lá passaram de 100 a 150 pessoas, visto que o evento durou pouco mais de três horas, das 18:30 horas até 21:45 horas e vamos aqui relatar o que se passou.Todos sabem que a prefeitura insiste que a cultura só tenha 0,22% do orçamento enquanto deveria ter 1%, dando uma diferença em média de R$ 2 milhões de reais por ano entre 2018 a 2021.
Chegamos lá as 18 horas e notamos dois carros da guarda municipal parados em frente  Câmara Municipal e pelos menos cinco policiais na porta, indicando que se poderia invadir a Câmara, o que e revela o medo dos poderosos ante o movimento social. Mas estes desconhecemo movimento, que ignorou a presença da guarda civil, e começou a se organizar para começar o evento, colocando a caixa de som, mesa para a venda de bolo, sanduíche e refrigerante. Para desespero dos contrários ao movimento não havia álcool e havia muitas crianças curtindo o evento.

A direita raivosa da cidade, que sempre age de maneira covarde e no subterrâneo, inventou que se estava fechando a rua, que não ocorreu como a própria policia constatou.Curiosamente quatro carros da polícia chegaram ao evento no momento que se apresentava o grupo de Rap.
As pessoas ficaram  no estacionamento da Câmara Municipal e calmamente curtiram os shows dos músicos, especialmente do grupo Crisântemo e o TOM (Elienton), leitura de textos de Jorge de Lima pela Ângela  e Mia Couto pelo Joaquim, apresentação de teatro do Felipe, da Julia e do Outro Luiz.

O Sarau foi aberto com uma fala de Paulo Morais explicando todo o processo de retirada de recursos da cultura que levaram a fazer o enterro da cultura e agora este Sarau.Já  no final, Pedro Cuba, presidente do Fórum Municipal de Cultura falou sobre a importância do evento e sobre a  luta para ampliar os recursos da cultura.






Houve um varal de desenhos e pinturas, além de faixas expostas explicando a população o que ocorria.

Muito importante  foi a convivência diferentes classes sociais e grupos  culturais mostrando que a tolerância e o amor davam o tom do evento.

O evento foi organizado pela União Regional dos Estudantes e por isso havia muito jovens que contaminavam   o espaço com sua alegria e persistência de lutar pela cultura e contra os retrocessos vividos no país.É claro, que como sempre se ouviu o Fora Temer também.

O evento mostrou como se pode fazer política com P maiúsculo, questionando decisões dos Poder Legislativo e do Executivo, de modo pacífico, e ainda de forma a que o espaço físico do poder Legislativo seja ocupado pelo povo com arte e cultura.
Depois colocaremos mais  fotos e videos  em outra postagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário