sábado, 5 de agosto de 2017

Até quando o Brasil aceitará o placar da traição no Congresso?

CHICO VIGILANTE

Deputado distrital e presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Legislativa do DF


Alan Santos/PR
Olhando o placar da traição, os 263 que votaram a favor da permanência de Temer, do PMDB, do PSDB, do Democratas, do PR, PTB, e de outros partidos, estou certo de que votaram SIM para Temer continuar a entregar o Brasil ao capital especulativo internacional.

A principal proposta dos golpistas, representada agora por Eliseu Padilha, o ajudante de ordens do chefe da quadrilha no Palácio do Planalto é tocar a ferro e fogo a reforma da previdência.

A derrota sofrida pela democracia e pelo povo brasileiro ontem, a vergonha que o Brasil está sentindo aos olhos do mundo, não é pequena.

Não se trata de simples derrota esporádica. É a continuidade do roteiro do golpe, traçado e em ação contínua e rápida.

O próximo passo a ser tentado a curtíssimo prazo é a reforma da previdência, golpeando os direitos de todos aqueles que passaram a vida trabalhando e contribuindo para a previdência em busca de uma velhice digna.

Os golpistas já fizeram a reforma trabalhista, devolvendo o Brasil à era da escravidão, e agora querem a qualquer custo fazer a reforma da previdência.

Dizem que a reforma da previdência que deixará trabalhadores na labuta por 49 anos antes de se aposentar é a única saída. Mentira. O dinheiro da Previdência está sendo desviado.

Enquanto negam reajustes a aposentadorias e pensões de quem trabalhou toda uma vida, emprestam dinheiro para salvar grandes bancos e perdoam dívidas de devedores da previdência, grandes empresas e bancos.

É por isso que Temer está sendo mantido. O capital produtivo nacional não concorda mais com a permanência deste golpista, mas o capital especulativo internacional que não gera um emprego sequer, que não tem preocupação social, este sim está resistindo e financiando a permanência dos canalhas no Palácio do Planalto.

Só resta uma saída. Povo na rua exigindo seus direitos.
Temer é um golpista, corrupto, entreguista dos interesses e das riquezas brasileiras, além de destruidor das conquistas históricas dos trabalhadores brasileiros.

A revolta hoje de norte a sul, de leste a oeste do país é grande. Donas de casa, trabalhadores das mais variadas atividades, estudantes, a intelectualidade, organizações sociais e movimentos políticos estão todos indignados com o dia da vergonha, com o coroamento da imoralidade que representou a quarta-feira, 2 de agosto de 2017 no Congresso Nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário