quarta-feira, 21 de junho de 2017

Em 2015, efeito Lava Jato comeu 500 mil empregos na construção, diz IBGE


empestad
Na insuspeita versão do Estadão, quando os efeitos da Lava Jato começaram a ser sentidos, 500 mil vagas de trabalho na indústria da construção foram cortadas. Ainda em 2015, o valor das incorporações, obras e serviços realizados pelas empresas de construção somaram R$ 354,4 bilhões, queda de 16,5% em termos reais na comparação com o ano anterior.
A conta é do IBGE, na sua Pesquisa Anual da Indústria da Construção, divulgada hoje.
Como depois de 2015 veio um 2016 tão ou mais desastroso, não é demais imaginar que um milhão de trabalhadores da construção tenham ficado formalmente desempregados, vivendo de biscates, de serviços eventuais.
Num cálculo muito modesto, claro, porque o que se viu em 2016 e neste início de 2017 foi uma queda mais acentuada da atividade construtiva, tanto nas obras privadas quando nas públicas, que representam perto de um terço do setor.
Os métodos demolidores do Dr. Moro e dos bem pagos rapazes de Curitiba realmente fizeram diferença para um milhão de peões, essa gente desprezível que nem auxílio-moradia merece e, afinal, não vem ao caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário